Tag: panini

Bem vindos ao Tom’s Bar

Pode-se dizer que Giancarlo Berardi e Ivo Milazzo criaram seu próprio universo. Claro, não tão grande e famoso como o de Walt Disney ou a dupla Stan Lee e Jack Kirby, mas sem sombra de dúvida com a mesma importância na história dos quadrinhos.

As histórias de Tommy Steele foram publicadas no Brasil pela Opera Graphica em 2002.

Neste universo criado pelos dois autores, a estrela mais brilhante, admirada e amada é Ken Parker. E em torno desta imensa estrela, vários planetas orbitam como o do menino guerreiro Tiki, o do detetive Marvin, o de Giuli Bai, o Homem das Filipinas, o planeta de Welcome to Springville e dos muitos contos que sempre pairam em torno da estrela-mãe.

E há também o Tom’s Bar, que aqui vou chamar carinhosamente de Bar do Tom.

As quatro histórias estreladas por Tommy Steele, o Tom, são as melhores que a dupla italiana conseguiu criar no período pós-Ken Parker. Quatro contos, que podem ser lidos em um tempo relativamente curto, mas que parecem durar uma eternidade.

Na Chicago dos anos 40, já vista em centenas de filmes de Hollywood, na qual Tommy Steele vive, um ex-gângster aposentado que gerenciam um Bar. Um lugar tranquilo onde você pode saborear bebidas e tomar café ouvindo um bom blues.

Para estragar a atmosfera amena de Tommy, há um tolo que se atreve a ficar pedindo dinheiro em troca de proteção, ou um amigo que lhe pede refúgio porque é procurado por uma gangue rival. No sossego de sua vida, como um homem vivido, Tommy sempre tenta complementar os poucos ganhos de seu Bar vendendo armas velhas para jovens em busca de problemas.

Embora ciente da sabedoria que sua vida agitada lhe deu, ele nunca se permite julgar ou dar conselhos: “… eu julgo as pessoas por sua face, não pelo que dizem.” Ele exclama com firmeza. E como todos os homens, ele também tem no coração as feridas deixadas por um amor impossível, Iris, a mulher de seu antigo patrão que sempre amou e que a encontra todos os anos no Natal, culpada de viver apenas a ilusão juvenil e ciente da triste realidade que a vida reservou para ele.

Berardi e Milazzo conseguem nos transmitir a nostalgia de outros tempos, o sentimento de culpa, amizade, traição e amor, construindo um personagem que infelizmente teve uma vida editorial muito curta e que teria merecido ser aprofundado como seu irmão mais velho, Ken Parker. Porque, acredite ou não, Tommy Steele não tem nada a invejar ao anti-herói loiro, na verdade, com apenas quatro contos, a dupla revolucionária conseguiu realizar um verdadeiro prodígio artístico, uma obra-prima que assume um caráter épico de grandes obras.

 

Berardi e Milazzo.

As palavras de Berardi soam com a mesma poesia e aspereza usadas por autores como Chandler (autor de Sono Eterno, 1943) e Hammet (criador do Falcão Maltês). Os desenhos de Milazzo são os mais bonitos que você poderia desejar de um artista. Sua Chicago, envolta em trevas  e imersa na neve, é uma obra-prima do impressionismo artístico onde poucos conseguem se igualar nos quadrinhos.

Tudo é perfeito no Bar do Tom.

É uma obra –prima.

CURIOSIDADE

A música que é o pano de fundo da primeira história, “Quase sempre” é a mítica “Stardust” do grande Hoagy Carmichel.

Você pode escutá-la aqui:

Para a cenografia do bar de Tom, Ivo Milazzo foi amplamente inspirado no bar frequentado por Ray Milland na obra-prima de Billy Wilder, The Lost Weekend (1945), chamado no Brasil de Farrapo Humano. Você pode assisti-lo AQUI.

Farrapo Humano (1945)

Atmosfera do bar totalmente inspirada neste filme.

As histórias de Tommy Steele foram publicadas no Brasil pela Opera Graphica em 2002. A edição continha 52 páginas no tamanho de 21x28cm. Nesta mesma coleção foram publicadas outras obras de Berardi e Millazo como Marvin – O Caso de Marion Colman, Contraste e Noturno.

Uma edição recomendada é a publicada na coleção Ken Parker Collection n.43, da Panini Comics Itália, que contém Tiki, já publicada no Brasil pela Quadro a Quadro em 2013, Tom’s Bar e Fantasticheria, ainda inédita no Brasil.

Abaixo um trecho animado da história “Lady be good”:

Quem eram os Justiceiros de Vegas?

Será publicado pela Panini Comics ainda este mês de novembro o primeiro volume da Biblioteca Tex: Os Justiceiros de Vegas. A edição, escrita por Mauro Boselli, com desenhos e capa de Corrado Mastantuono, terá 224 páginas coloridas pela GFB Comics. Terá o mesmo formato das edições da Salvat e virá no preço de R$ 84,00.

Na trama, Tex e seus pards descobrem alguns bandidos que foram enforcados em Vegas, mas as contas não batem quando ele percebe que a mesma gangue havia assaltado uma diligência depois de dados como mortos. Para esclarecer a situação, os pards devem enfrentar Hoodoo Brown e Dave Mather, respectivamente prefeito e xerife da cidade, aparentemente, livre de crimes.

Hoodoo e Mather são personagens reais, que fizeram história no velho oeste americano e é deles que vamos falar hoje. Os Justiceiros de Vegas.

Panini lançará Morte a Caravaggio!

A Panini Comics vem publicando as graphic novels da Sergio Bonelli Editore. Já publicou Deadwood Dick, Mister No Revolução e anunciou Kentucky River. Com ISBN já publicado (à direita), ela também irá publicar Morte a Caravaggio!, obra de Giuseppe De Nardo no roteiro e arte de Giampiero Casertano. Publicada originalmente em Speciale Le Storie nº 1 – Uccidete Caravaggio!, em 2014, a edição terá 148 páginas em formato de luxo, totalmente colorida por Arianna Florean e capa de Aldo Di Gennaro.

Michelangelo Merisi da Caravaggio, um gênio da pintura que revolucionou a arte ocidental, mas também um espírito inquieto, impulsivo e talvez… um assassino! Muitos o admiram, outros o temem ou odeiam a ponto de querer vê-lo morto. Por essa razão, dois mercenários habilidosos estão em seu encalço. Em uma história que mistura realidade e ficção, uma aventura se desenrola durante os eventos que marcaram os últimos anos de sua vida.

Mister No voltou com tudo ao Brasil

O herói americano, feito na Itália, mais brasileiro de todos voltou com tudo ao Brasil, país onde seu criador, Sergio Bonelli desenvolve a grande maioria das aventuras do Piloto “cachaceiro”, Mister No. Além de chegar à quarta edição pela Editora 85, o herói tem uma série especial sendo publicada pela Panini e muito em breve sua série regular mensal voltará a ser publicada.

DEADWOOD DICK 2 CHEGA EM JANEIRO

As aventuras de Nat Love continuam no volume 2 de Deadwood Dick, anunciado este mês pela Panini Comics. Imagine um cowboy afro-americano Deadwood Dick que socorre um desconhecido largado para morrer no deserto. Ao chegar a Hide and Horns, uma vila povoada pela pior escória do extremo oeste, Dick quer dar a seu amigo Cramp um enterro cristão, mas é difícil para os racistas permitirem que um negro infecte o solo de seu cemitério.

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén