Mythos comemora centenário de Galep com edição especial

Tex Willer, o famoso ranger da editora Sergio Bonelli Editore completa 70 anos em 2018. Junto a isso também comemoramos o centenário do grande Aurelio Galleppini que junto a Gianluigi Bonelli deu vida ao personagem em 1948.

O desenhista Galep, como é carinhosamente conhecido, foi o criador gráfico de Tex, a pessoa que determinou o visual do herói que perdura até hoje. Responsável por desenhar numerosas histórias do personagem, ele é o artista preferido de grande parte dos fãs.

Em comemoração ao seu centenário a Editora Mythos publica neste mês de fevereiro uma edição especial que fala sobre a extraordinária carreira de Galep. Em formato italiano Bonelli de 16×21 cm e 196 páginas (valor ainda não definido), a edição traz as duas primeiras histórias do espadachim Occhio Cupo, personagem criado por Galep e Bonelli antes de Tex. E também uma das mais célebres histórias do rude herói do oeste magistralmente ilustrada por Galep.

A edição ainda traz muitas matérias contando a história do artista, detalhes de sua vida até seu falecimento em 1994.

Breve história de Aurelio Galleppini

Nascido em Casale di Pari, no dia 20 de agosto de 1917, Galep gostava desde criança de desenhar e pintar. E desde a infância seus temas favoritos eram cavalos e filmes mudos de velho oeste. Viveu até os 19 anos na Sardenha e logo depois abandonou os estudos para dedicar-se à pintura e aos quadrinhos.

Um de seus primeiros trabalhos profissionais foi a realização de desenhos animados para o mercado alemão. Em 1940 Galep passa a trabalhar com o editor Nerbini, em Florença, para a revista L’Avventuroso. Aurelio também passou a produzir roteiros que, em tempos de guerra, eram submetidos à censura de Roma. Foi nessa época que ele encurtou o nome para Galep e trabalhou até ser recrutado para um forte, em Cagliari.

Após o fim da Segunda Guerra Mundial, Galep dedicou-se à pintura e passou a ministrar aulas em dois colégios de Cagliari, até Nerbini chamá-lo para adaptar Pinóquio e alguns episódios de Mandrake. Em junho de 1948 Galep mudou-se para Milão, onde dedicou-se inteiramente a um novo projeto com G. L. Bonelli, então na Editora Audace.

Ambos criaram Occhio Cupo (à esquerda) e algum tempo depois Galep desenhou o primeiro roteiro de Tex. Inicialmente, as 32 tiras semanais que compunham cada edição de Tex eram produzidas inteiramente por Galep, mas este, aos poucos, foi sendo obrigado a recorrer à ajuda de amigos como Virgílio Muzzi e Francesco Gamba, que se revezavam com ele, ora fazendo os esboços, ora finalizando seu lápis.

Depois de 1967, quando a produção aumentou radicalmente – eram 110 páginas por mês, cada uma com três tiras, já não foi possível contar apenas com amigos que colaboravam nos momentos de sobrecarga, tornando-se necessário ter outros desenhistas que se revezassem com ele realizando episódios inteiros.

Começava, assim, uma nova e áurea fase de Tex, com Galep ilustrando todas as capas e as principais aventuras da série. Nesta nova etapa ele realizou outras histórias, entre elas “O Homem do Texas”, da série Um Homem, Uma Aventura, a quadrinização de Pinóquio e ainda As Viagens de Gulliver.

Tendo sempre como personagem principal o próprio Tex, Galep seguiu produzindo até 1994, quando faleceu no mês de março.

Aurelio Galeppini e o jovem Sergio Bonelli

Viva Galep!

Viva Bonelli!

Anteriores

Dylan Dog em 2018

Próximo

ANIMETOQUE! – A Confraria estará presente!

  1. Michael Floro

    Terá alguma história desenhada pelo Galep na coleção da Salvat?

    • Leonardo Fraga

      Tem duas:
      Tex #20 – A marca da serpente, de Claudio Nizzi e Aurelio Galleppini, 236 páginas – 08/06/2018 (Tex Speciale 3, de 1990)
      Tex #40 – O sequestro/Assalto ao trem/Morte no deserto/Uma tarde quente/Trilha de sangue/O duelo/ A presa, de Tito Faraci/Orestes Suárez, Giovanni Luigi Bonelli/Aurelio Galleppini, Claudio Nizzi/Giovanni Ticci, Guido Nolitta/Giovanni Ticci, Claudio Nizzi/Giovanni Ticci, Fabio Civitelli, Mauro Boselli/Fabio Civitelli, 228 páginas – 15/03/2019 (Almanacco del West 2014 e Storie brevi)

  2. Eduardo

    Parece ser uma bela edição! Comprarei com certeza…

Deixe uma resposta

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén