Categoria: Editora 85

Editora 85 lança campanha de Morgan Lost 7

A Editora 85 está com campanha no Catarse para o lançamento do 7º volume de Morgan Lost. A campanha também conta com o lançamento de Dampyr #11 e Diabolik Clássico #2 e pode ser apoiada até dia 7 de julho.

Morgan Lost é publicado desde 2020 pela Editora 85 e compila duas edições originais por volume, chegando agora no 14º volume italiano. A série principal iniciou em 2015 e teve 24 edições já concluídas. Em 2017 a Bonelli começou a lançar novas séries do personagem começando por Morgan Lost – Dark Novels que teve nove edições, depois Black Novels com seis, Night Novels com oito, Scream Novels também com seis, Fear Novels com oito e finalmente em publicação atual na Itália Nuove Origini que já está na quinta edição.

Morgan é um caçador de Serial Killers de New Heliópolis, uma versão alternativa de Nova York dos anos 1950, onde a Segunda Guerra Mundial nunca aconteceu. A cidade é cheia de assassinos em série e caçá-los se tornou uma das principais profissões dessa sociedade, até mesmo a de Morgan.

Lost tem uma tatuagem nos olhos, feita pelos mesmos bandidos que sequestraram e torturaram ele e sua namorada, que é morta por eles. Morgan vive atormentado por traumas passados e sofre de insônia. Ele também tem um problema de visão que o faz enxergar em escalas de cinza e vermelho. Esta sua característica está nas páginas da HQ que é impressa com os mesmos tons de cores.

A cada edição Morgan enfrenta perigosos Serial Killers, cada vez mais bizarros em aventuras com muita ação e brutalidade, fruto da mente de seu criador Claudio Chiaverotti, autor que já trabalhou em Dylan Dog e em 1998 criou Brendon, outra série Bonelli que conta a história de um mercenário em uma terra pós-apocalíptica.

No 7º volume de Morgan Lost a Editora 85 dá sequência à publicação com mais duas histórias autocontidas, escritas por Claudio Chiaverotti e magistralmente ilustradas por Luca Raimondo e Max Bertolini. As traduções são de Júlio Schneider e as capas são de Fabrizio de Tommaso.

 

Na primeira história da edição, publicada em Morgan Lost #13, O segredo de Juliet, conhecemos Miss Porter, uma dona de uma casa que realiza casamentos, a Weddings House. Ela contrata dois gêmeos misteriosos para perseguir e sequestrar uma garota, Juliet, que havia escapado deste lugar. Durante a fuga, Juliet se refugia no cinema Fitz, local frequentado regularmente por Morgan Lost, amigo do proprietário. É quando Morgan conhece a garota e decide ajudá-la.

Em Morgan Lost #14, Uma vida perfeita, durante a captura de um serial killer apelidado de Assassino do Papai Noel, Morgan vê a policial Jill ser ferida, uma policial com quem ele teve um caso no passado. A mulher é tratada pelo Dr. Damon Matthews, aparentemente um médico conceituado, mas que esconde um segredo horrível.

Morgan Lost #7 tem 196 páginas com miolo offset, capa cartão e orelhas. Para apoiar acesse: https://www.catarse.me/85008

Editora 85 lança campanha de Dampyr 11

A Editora 85 abriu uma nova campanha no Catarse para o lançamento do 11º volume de Dampyr. A campanha também conta com o lançamento de Morgan Lost #7 e Diabolik Clássico #2 e pode ser apoiada até dia 7 de julho.
Dampyr foi o primeiro personagem publicado pela Editora 85 em 2018, quando lançou no Catarse Dampyr vol.4. No final do mesmo ano lançou Dampyr vol.1 e seis anos depois a editora não parou mais, lançando novos títulos e continuando as séries já iniciadas.

Dampyr é uma série que mistura horror, suspense e aventura policial. A trama explora o mundo dos Mestres da Noite, superpredadores que se alimentam de seres humanos. Porém, o nascimento de Harlan Draka, filho de uma humana com uma dessas criaturas, gera o único inimigo natural de tais ameaças: um Dampyr.


Draka cresce para tornar-se o caçador dos Mestres da Noite. Como aliados ele conta com Kurjak, um soldado sem pátria que desistiu das guerras injustas para lutar pela salvação da humanidade e Tesla, a única vampira a aliar-se aos humanos contra a sua raça. Um grande diferencial deste título Bonelli é que as aventuras correm o mundo, em aventuras que exploram a cultura de variados lugares.
Dampyr #11 traz as edições inéditas #41, #42, #43 e #44 em 388 páginas. A edição tem formato italiano (15,5x21cm) com papel offset 75 g/cm². Para apoiar acesse: https://www.catarse.me/85008

 


Dampyr #41 (Casa de bonecas)
Roteiro: Mauro Boselli
Desenho: Nicola Genzianella

Arnstadt, uma pacata cidadezinha alemã à qual retornam dois velhos conhecidos, o professor Hans Milius e sua bela aluna, Sophie Mutter. Num sótão é encontrada uma estranha casa de bonecas, misteriosamente ligada ao desaparecimento de uma menina no início do século XX. Um século depois, Sophie é quem desaparece! Como únicos indícios ao Dampyr, uma música misteriosa ouvida em sonho e o estranho brinquedo cujos bonecos ocupantes parecem ter uma inexplicável vida silenciosa.

Dampyr 42 (O homem de Belfast)
Roteiro: Alberto Ostini
Desenho: Giovanni Bruzzo

Grande e linda terra, a Irlanda. Linda e desesperada! Até se diz que a sua cor mais típica, além dos mil tons de verde que tingem as charnecas, é o vermelho do sangue que corre em razão de uma tão absurda quanto feroz guerra civil que opõe os protestantes aos católicos. É nesse cenário de horrores que volta a agir um cruel orangista, ativo nos campos de batalha de quatro séculos atrás, para inviabilizar as negociações de paz entre as facções opostas. E Dampyr e Kurjak devem tentar deter a sua marcha de morte e devastação!

Dampyr 43 (A lenda de Amber)
Roteiro: Mauro Boselli
Desenho: Mauro Laurenti

Das mais sombrias profundezas do País de Gales emergiu um horror ancestral: os Tylwyth Teg escaparam do mundo subterrâneo de Annwn, onde estavam presos há milhares de anos. Eles são o povo pequeno das lendas, e, junto com uma terrível criatura do lago, atormentam a vila mineira de Llandegant, na região de Snowdonia, onde Harlan e Tesla chegam em busca da escritora Dolly MacLaine, que não se sabe onde está. Às voltas com os monstruosos e sanguinários demônios, o dampyr e a sua companheira de aventuras descobrirão que o povo pequeno não é alegre como relatam os contos de fadas. Felizmente eles arrumam uma aliada realmente especial: Amber Tremayne, a bela mestra da noite que, por uma antiga dívida, contraída na época da presença romana na antiga Britânia, zela pelos habitantes da vila.

 

Dampyr 44 (O lacre negro)
Roteiro: Mauro Boselli
Desenho: Mauro Laurenti

A torre de Dinas Emrys é tudo o que resta do antigo castelo do rei Vortigern. E também é a passagem que leva ao mundo subterrâneo de Annwn, de onde retornaram à terra os horríveis membros da Bela Família, os Tylwyth Teg, demônios a serviço de Black Annis. O que possibilitou o retorno de seus ataques foi o fato do arqueólogo Matthew Shady quebrar o lacre mágico que os aprisionava. Para sorte do estudioso imprudente, sobre ele se estende a sombra protetora de Amber Tremayne, além da de um combatente nato como Kurjak. A partida que se joga na vila de Llandegant entre as hordas infernais da Annis Negra e a equipe formada por Harlan, Tesla e Amber terá o seu epílogo justamente no poço que está sob Dinas Emrys, onde se diz que, para selar um pacto com as forças das trevas, numa época remota o cruel Vortigern quis jogar um jovem guerreiro de nome Emrys, filho do líder romano britânico Macsen Wledig e de uma mulher de natureza demoníaca, chamado pelos romanos de Aurélio Ambrósio, meio-irmão de Artos, aquele que anos depois seria conhecido pelo nome de Artur.

Capas de Diabolik Clássico 2 e Morgan Lost 7, que também estão em Campanha no Catarse.

Mister No – Era uma Vez em Nova York

No próximo domingo (20), a Editora 85 irá lançar uma nova campanha no Catarse onde trará as obras Morgan Lost #3, Dampyr #7 e a estreia da minissérie integral Hellnoir e de Almanaque Mister No #1 com a história “Era Uma Vez em Nova York”.

Editora 85 lança Hellnoir

No próximo domingo (20), a Editora 85 irá lançar uma nova campanha no Catarse onde trará as obras Morgan Lost #3, Dampyr #7 e a estreia de Almanaque Mister No #1 e da minissérie integral Hellnoir.

A Confraria Bonelli fará uma live especial com a participação do editor da 85 Leonardo Campos e o tradutor Júlio Schneider, onde será comentado sobre todos os lançamentos e sobre a campanha que iniciará no domingo mesmo durante a Live.

Capa da edição brasileira de Hellnoir. Editora 85.

 

Conhecendo melhor Hellnoir

Hellnoir é uma cidade, em algum lugar entre o nosso mundo e outro. Uma metrópole sombria, imensa e tentacular. Todos os que tiveram uma morte violenta acabam em Hellnoir, uma segunda vida quase sempre mais dolorosa e cruel do que a primeira. Hellnoir é um lugar podre e corrupto, repleto de almas condenadas. É preciso seguir certas regras se quiser sobreviver, regras escritas com sangue, declamadas em meio a gritos e lamentações, gravadas em carne mutilada.

Mister No e a Mad Maria

Sergio Bonelli era um aventureiro e muitas das histórias que escreveu com o pseudônimo de Guido Nollita saíram de suas aventuras. Em Mister No isso acontece ainda mais, pois Jerry Drake percorre por muitas vezes o caminho trilhado no mundo real por seu criador, Sergio.

Um exemplo disso é a relação de Sergio Bonelli com a Ferrovia Madeira-Mamoré, cuja história foi imortalizada no livro Mad Maria de Márcio de Souza. A intenção era construir uma estrada de ferro de 366 Km no meio da Floresta Amazônica para ligar Guajará-Mirim a Porto Velho.

A Bolívia havia perdido sua faixa litorânea no Pacífico para o Chile, durante a Guerra de Guano em 1883 ficando sem saída para o mar, meio fundamental para uma economia baseada na exportação. Por isso os bolivianos optaram trocar o Acre por uma ferrovia que fosse da fronteira do Brasil ao rio Mamoré e daí, de barco pelos rios Madeira e Amazonas, os produtos bolivianos chegariam ao Atlântico.

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén