Tag: fumetti Page 2 of 4

Mythos estuda lançar nova coleção de Dylan Dog

Em outubro de 1986 a Sergio Bonelli lançou Dylan Dog #1, O Despertar dos Mortos Vivos. No Brasil, Dylan começou a ser publicado em 1991 pela Editora Record. Desde então acompanhamos o personagem criado por Tiziano Sclavi em suas aventuras com humor nonsense, surreais, com muita ação, mistério e terror. No Brasil o personagem já viveu altos e baixos sendo publicado por quatro editoras diferentes. Hoje, podemos dizer que estamos vivendo o melhor momento do Investigador do Pesadelo no Brasil.

A Mythos que já publicou 40 números do personagem em formatinho, agora publica duas coleções: Clássica e Nova Série. Publica também Graphic Novels, o Almanaque do Pesadelo e especula lançar mais uma coleção em 2021.

Na live do canal BlogBuster (https://www.youtube.com/watch?v=qj-CZgparI8&t=2237s), Joana Rosa Russo, editora da Mythos ao ser questionada sobre uma possível coleção de Dylan Dog Classic, com publicações desde o primeiro volume de Dylan, destacou que a editora não pretende lançar uma coleção assim, mas estuda lançar uma coleção de alguma fase do personagem: “A gente prefere lançar por fase, mas como está saindo algumas ristampas (reimpressões) na Itália, a gente talvez acabe publicando uma coleção Tiziano Sclavi. Mas é tudo especulação”, destacou Joana.

Claro que não vamos tirar nenhuma conclusão disso, mesmo que os leitores da Bonelli aqui no Brasil sintam falta de mais histórias clássicas de Dylan, em especial de Tiziano Sclavi, criador do personagem. Mas vamos listar algumas coleções lançadas na Itália que seriam muito interessantes para serem publicadas por aqui:

IL DYLAN DOG DI TIZIANO SCLAVI (O Dylan Dog de Tiziano Sclavi)

Série mensal que propôs trazer em 24 volumes as melhores histórias de Tiziano Sclavi. A série iniciou em maio de 2017 com “Através do Espelho” e foi até abril de 2019 com “O Longo Adeus.” O acabamento dessa edição lembra publicações americanas de terror dos anos 1950.

As capas são simples, em uma cor parda com um desenho realizado por Gigi Cavenago, atual capista de Dylan Dog. Todas as edições são coloridas ao estilo dos anos 1950 e com as páginas mais amareladas. A série foi publicada em banca com 112 páginas cada edição e compila ótimas histórias realizadas pelo criador de Dylan.

A série foi um enorme sucesso e a Sergio Bonelli Editore depois publicou packs (caixas) com quatro edições cada.

LIBRI DYLAN DOG (Uma espécie de Dylan Dog Anual)

Outra ótima coleção de Dylan lançada pela Bonelli é esta em capa dura. Até o momento foram lançados 5 volumes e cada um compila cinco histórias indispensáveis do Investigador do Pesadelo.

O formato lembra As Grandes Aventuras de Tex, recém lançado pela Editora Mythos. Cada volume tem em média 500 páginas e as histórias são selecionadas com base em um tema. Por exemplo:

O primeiro volume, Angeli i Demoni compila histórias com demônios e anjos (ah, jura?) que acabam atravessando o caminho de Dylan. Lançado em 2016 compila Dylan Dog #6 “A Beleza do Demônio” com roteiro de Tiziano Sclavi e arte de Gustavo Trigo. Dylan Dog #141 “O Anjo Exterminador”, de Pasquale Ruju e arte de Nicola Mari. “O Mistério de Veneza”, publicado em Dylan Dog #184 com roteiro de Ruju e arte de Angelo Stano. Dylan Dog #221, “O Toque do Demônio” de Paola Barbato e arte de Fabio Celoni. E encerra com “O céu pode esperar”, de Michele Masiero e arte de Corrado Roi, publicado em Dylan Dog #229.

E o volume dois se mostra bem mais interessante para ser lançado no Brasil neste momento. Intitulado Xabaras, a edição traz histórias que recontam o passado de Dylan com histórias cruciais e roteirizadas por Tiziano Sclavi e arte de Angelo Stano. Nela consta Dylan Dog #1, “O Despertar dos Mortos Vivos”. Em seguida vem “Morgana”, publicada em Dylan Dog #25. Dylan enfrenta Xabaras em “História de Ninguém”, publicada em Dylan Dog #43 e o volume conclui com “A História de Dylan Dog”, publicado em Dylan Dog #100. Este volume tem uma história a menos que as outras.

Esta coleção sai anualmente e seria uma ótima ideia ter um Dylan Dog Anual nesse sentido. Uma alternativa para quem pede o Dylan Dog Clássico.

 

Existem duas séries interessantes que saíram em parceria com jornais italianos.

Dylan Dog – Coleção Histórica a Cores

Esta série foi publicada em uma parceria entre os jornais La Repubblica e L’Espresso. Em 50 números foram publicadas cronologicamente os 150 primeiros volumes de Dylan Dog. Três histórias coloridas por edição, com acréscimo de material extra organizado pelo jornalista e perito em quadrinhos Luca Raffaelli e pelos editores da Bonelli Luca Crovi e Maurizio Colombo. A série iniciou em 2013 e terminou em janeiro de 2014. Lembrando que os volumes saíam semanalmente.

 

Dylan Dog Viaggio nell’Incubo

Esta série é uma parceria entre os jornais La Gazzetta dello Sport e Corriere dela Sera. Em andamento, a série já chegou à edição 68 de 80 planejadas. Com 208 páginas, cada volume compila duas histórias combinadas com base em um tema, monstros, alienígenas, fantasmas, vampiros, etc… A divisão por temas permite que o leitor se aproxime da complexidade e nuances do personagem em seu mundo inquieto e em suas investigações.

As histórias são em preto e branco, e as capas são inéditas, criadas pelos mais importantes artistas da Sergio Bonelli Editore. Em cada volume o leitor encontrará conteúdos extras. Colunas de Fábio Licari, supervisor editorial da coleção e textos de Maurizio Colombo, que explora a temática de cada volume.

Por falar em Tiziano Sclavi, não posso encerrar esse texto sem citar I Racconti di Domani. O retorno de Tiziano à escrita de Dylan Dog. Aqui ele faz uma série de pequenos contos apresentados pelo Dylan, ao estilo Creepshow, onde ele apresenta os contos mas não participa. Nesta série somos transportados de uma maneira incrível pela escrita de um dos maiores roteiristas italianos.

No primeiro volume, Dylan encontra na loja Safará um misterioso livro. Hamlin, o misterioso gerente da loja descreve o livro como uma “coleção de contos que serão escritos amanhã”. E é justamente este o título do livro empoeirado: Contos do Amanhã! O Investigador do Pesadelo iniciará a leitura junto a nós, leitores e encontraremos uma coisa em comum entre as histórias: o horror!

Cada volume conta com 64 páginas coloridas, capa dura. O segundo volume tem arte de Nicola Mari e a terceira edição, que sai dia 26 de novembro, tem a arte de Giorgio Pontrelli.

Existem várias outras reimpressões e coleções de Dylan, mas no momento estas parecem se encaixar melhor em nossa necessidade como leitor.

Estas foram algumas especulações, mas concretamente já podemos esperar que Dylan Dog terá as edições inéditas até a número 100, finalmente publicadas. “São 37 histórias. E pra coisa andar mais rápido, talvez passe a ser mensal”, destacou o Editor da Mythos Dorival Vitor Lopes. Ele comentou também que Dylan Dog Nova série continua do mesmo jeito.

Mas isso abordaremos em outro post, enquanto isso, leiam Dylan Dog! Não irão se arrepender.

Em memória de ‘Guido Nollita’ (Sergio Bonelli): 1932-2011

Nascido em Milão em 2 de dezembro de 1932, Sergio Bonelli é filho de Giovanni Luigi Bonelli, criador de Tex e de muitos outros heróis dos quadrinhos italianos, fundador da Editora Audace, e de Tea Bertasi, que em 1946 assumiu as rédeas da negócios de família. Apenas para se diferenciar do famoso pai, quando começa a escrever, opta por assinar seus próprios roteiros com o pseudônimo de ‘Guido Nolitta‘.

Fonte: Blogue Os Quadrinhos.

O que esperar de Zagor em 2020 na Itália e Brasil

Goste ou não, Zagor é um personagem que cativa seus leitores. Tem uma legião de fãs na Itália e no Brasil também possui seguidores aficionados pelo personagem. Ele é um personagem de western que habita na lendária Floresta de Darkwood atuando em aventuras com seu inseparável amigo Chico.

Zagor possui extraordinários reflexos e dotes atléticos e é extremamente hábil no uso de sua machadinha. Os seus feitos, além da impressão causada por suas vestes e por seu grito de guerra (um característico “AAHHYAAKK!”) o fazem ser considerado pelos índios como uma espécie de semi-deus enviado por Manitu.

Conhecendo Caravan

Caravan é uma minissérie da Sergio Bonelli Editore completa em 12 edições lançada de junho de 2009 a maio de 2010. A obra foi criada por Michele Medda, que, junto a Antonio Serra e Bepi Vigna criaram Nathan Never.

Após um evento misterioso que bloqueia temporariamente todos os dispositivos elétricos, eletrônicos e carros na cidadezinha de Nest Point, o exército dos EUA evacua a cidade e inicia um êxodo de todos os cidadãos em uma gigantesca Caravana.

Mágico Vento está voltando em formato italiano

No início de janeiro a Editora Mythos anunciou que a série Mágico Vento terá seu retorno em 2020, dessa vez em formato italiano. A obra criada por Gianfranco Manfredi foi publicada pela Mythos em formatinho de 2002 a 2013 em 131 volumes, compilando a série completa.

O que 2020 reserva para Dragonero

O final de 2019 foi turbulento na publicação italiana de Dragonero. Reviravoltas em Erondar e também na vida editorial do personagem, que é um dos maiores sucessos da Bonelli nos últimos anos. No Brasil, Dragonero finalmente estreia com uma edição especial e o início de sua série regular (à esquerda) no final do ano. Vamos ver as aventuras que 2020 reservam para Ian e seus amigos.

Reviravoltas espetaculares em Dragonero – O Rebelde!

O que teremos de Dampyr em 2020

Em 2020 Dampyr completa 20 anos e a Bonelli divulgou algumas aventuras que Harlan Draka, o Dampyr, enfrentará. Em abril de 2000, estreava “O filho do Vampiro”, escrito pelo criador da série Mauro Boselli com desenhos de Majo. Em abril deste ano, Dampyr comemora seu aniversário com a edição “O Cavaleiro de Roccabruna”. Edição com 110 páginas coloridas onde Harlan enfrentará os inimigos preferidos dos leitores, Lobisomens! Com desenhos de Majo.

Panini lançará Morte a Caravaggio!

A Panini Comics vem publicando as graphic novels da Sergio Bonelli Editore. Já publicou Deadwood Dick, Mister No Revolução e anunciou Kentucky River. Com ISBN já publicado (à direita), ela também irá publicar Morte a Caravaggio!, obra de Giuseppe De Nardo no roteiro e arte de Giampiero Casertano. Publicada originalmente em Speciale Le Storie nº 1 – Uccidete Caravaggio!, em 2014, a edição terá 148 páginas em formato de luxo, totalmente colorida por Arianna Florean e capa de Aldo Di Gennaro.

Michelangelo Merisi da Caravaggio, um gênio da pintura que revolucionou a arte ocidental, mas também um espírito inquieto, impulsivo e talvez… um assassino! Muitos o admiram, outros o temem ou odeiam a ponto de querer vê-lo morto. Por essa razão, dois mercenários habilidosos estão em seu encalço. Em uma história que mistura realidade e ficção, uma aventura se desenrola durante os eventos que marcaram os últimos anos de sua vida.

Conhecendo Mercurio Loi

A Bonelli é rica em histórias e personagens e tem coisas incríveis que ainda faltam serem desfrutadas pelos leitores brasileiros. Um deles é Mercurio Loi, concebido pelo incrível Alessandro Bilotta e originalmente desenhado por Matteo Mosca. A série foi publicada de 2017 a 2019 em 16 volumes.

Mister No voltou com tudo ao Brasil

O herói americano, feito na Itália, mais brasileiro de todos voltou com tudo ao Brasil, país onde seu criador, Sergio Bonelli desenvolve a grande maioria das aventuras do Piloto “cachaceiro”, Mister No. Além de chegar à quarta edição pela Editora 85, o herói tem uma série especial sendo publicada pela Panini e muito em breve sua série regular mensal voltará a ser publicada.

Page 2 of 4

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén