Lucca 2017O futuro de Martin Mystère

Na cidade Lucca na Itália é realizada uma tradicional feira de Comics (como  as ComicCons americanas). A de 2017 aconteceu entre 01 e 05 de novembro deste ano e foi palco de muitos anúncios e novidades da SBE Editora, responsável por publicar Martin Mystère.

No Painel dedicado ao Detetive do Impossível, com a presença dos editores principais do BVTM, estava o mito Castelli falando em pessoa sobre o futuro das publicações. Ele apresentou a coleção “The Striped Adventures de Martin Mystère”, um livro de capa dura que compila integralmente as aventuras em tirinhas dedicadas ao detetive do impossível na década de oitenta nos jornais. Era um momento em que os quadrinhos de aventura originalmente italianos estavam praticamente ausentes dos jornais.

O volume, apresentado em Lucca, inclui alguns “extras”, entre os eles “os Mistérios de Mystére”, uma coluna clássica ainda presente nas publicações da série regular. Além disso, o volume contém episódios de Allan Quatermain, o protótipo de Martin Mystère concebido por Alfredo Castelli e Fabrizio Busticchi em 1978, inicialmente concebido para Il Giornalino e posteriormente publicado no SuperGulp.

Entre os extras também há alguns esboços feitos para Martin Mystère no final dos anos setenta e realizados por Giancarlo Alessandrini e pelo falecido Sergio Zaniboni, que inicialmente projetaram a série para publicação na França (daí o motivo do sobrenome Mystère).

Continuidade

Em relação ao futuro, Castelli disse as histórias continuarão sendo publicadas como sempre foram. Uma arte de Giancarlo Alessandrini foi mostrada para uma história que vai falar sobre “dinossauros, realidade virtual e realidade aumentada”, algumas esboços de Alfredo Orlandi e outras de Paolo Morales (que “antes de nos deixar tinha feito muitas histórias para serem publicadas”).

As novas aventuras em cores

A série de doze episódios dedicada às novas aventuras de cores de um jovem Martin Mystère foi “muito bem recebida”, mantendo o mesmo número de leitores do número 2 ao número 10 sem a menor queda nas vendas (uma amostra de fidelidade dos leitores). A publicação nasceu com o formato das “séries de TV“, como uma temporada que deveria ter seu final, descansar por alguns meses e depois retornar. Se e quando houver uma nova série, ela durará 6 meses e será lançada mais cedo e publicada com mais do que 64 páginas, por ser melhor aceito no exterior desta forma.

A filosofia da série está ligada à criação de histórias com um ritmo narrativo voltado para os tempos de hoje, menos detalhados, embora, admitiu Castelli, cortamos um pouco demais nessa primeira minissérie. No futuro, deve haver um Martin Mystère muito mais próximo do da série regular, com a característica de que as histórias terão ritmos mais rápidos do as das séries regulares.

Martin… Mickey?

Pra finalizar, durante a  Cartoomics (outra feira de comics, essa realizada em Milão) será lançada uma história centrada em “Topin Mystère”, a paródia da Disney* para Martin Msytère, em uma história escrita pelo próprio Castelli!

*Na Itália os quadrinhos Disney são editados pela Panini.